WhatsApp da Agência CWS

Como montar uma loja virtual

Continuando o nosso especial sobre e-commerce, vamos dar algumas dicas poderosas de como montar uma loja virtual. O caminho até à primeira venda é longo, porém, é de muita importância. Planejamento, foco, boas ferramentas e investimento inicial são primordiais para que a sua loja virtual se destaque no mercado. Vamos lá?

Plataforma

Como o próprio nome sugere, a plataforma será a base da sua loja. Tudo o que você construir a partir de então estará dentro dessa plataforma, que deve ser robusta, dispor de ferramentas de segurança, personalização e que seja de fácil manuseio.

Existem 3 tipos de plataformas disponíveis:
– Gratuitas: limitadas e sem customização. Não são a melhor opção.

– Código fonte aberto: geralmente são gratuitas, mas pedem que você tenha conhecimento específico na plataforma.

– Pagas: são as melhores opções, ainda que elas cobrem uma porcentagem da sua receita. As plataformas pagas oferecem suporte de qualidade, ótimas ferramentas e excelente customização.

A Comerci, nossa parceira de longa data e empresa especializada em e-commerce, utiliza e recomenda as plataformas VTEX e Tray. Para saber mais, entre em contato clicando aqui.

Pagamentos

Qualquer loja virtual precisa ter uma operação de pagamentos eficiente. Assim como nas plataformas, você tem 3 opções:

– Intermediadores de pagamentos: a melhor opção para quem está começando. Uma taxa fixa por transação é cobrada mais uma taxa sobre o valor da venda. Outro ponto positivo é que esta é a única opção em que não é necessária a contratação de um serviço antifraude.

– Integração direta com a adquirente: perfeito para lojistas experientes com equipes de segurança e desenvolvimento. Esta opção possibilita ter muito controle sobre a experiência do usuário. Assim como ocorre com o Gateway de Pagamento, você terá de contratar um serviço de antifraude, o que aumentará os gastos.

– Gateway de pagamento: oferece conexões mais estáveis com as redes de adquirência (como Redecard e Cielo, por exemplo). É uma solução mais robusta e barata do que os intermediadores, uma vez que é cobrada apenas uma taxa por transação. Porém, você precisará pagar por um serviço antifraude e terá de negociar taxas e adiantamento de recebíveis diretamente com a adquirente.

Segurança

Todo e-commerce necessita ter dois tipos de segurança:

1. Scan de Aplicação e IP: responsável por monitorar eventuais vulnerabilidades que possam permitir que uma pessoa má intencionada acesse seu banco de dados.

2. SSL (Secure Socket Layer): obrigatório para quem possui ferramentas de compra ou cadastro. O SSL age como uma poderosa proteção para todos os dados que o usuário insere em formulários.

Ter um site seguro é o primeiro passo rumo ao sucesso. Você precisa bater nessa tecla e exigir de sua loja virtual toda a segurança possível para que os seus clientes se sintam confortáveis na hora de comprar.

O marketing é fundamental para colocar a sua loja virtual no mapa

Quando tudo estiver funcionando, chegou a hora de investir no marketing digital. Conteúdo (descritivos dos produtos), anúncios pagos, SEO, redes sociais, e-mail marketing e aumento de conversão são as principais frentes. Não se preocupe, pois falaremos bastante sobre esses temas nos próximos artigos de nosso especial.

Backoffice e ERP

O backoffice é o sistema que rege suas operações de e-commerce. Controle financeiro, gestão de estoque e emissões de notas fiscais estão entre os seus principais objetivos. Para esse trabalho, recomendamos o uso de um sistema de gestão empresarial (ERP). Existe desde opções gratuitas de ERP (não recomendadas) a opções pagas englobando integração, TI e especialistas na área.

Acompanhamento jurídico

Para evitar futuras dores de cabeça, é preciso contar com um acompanhamento jurídico de qualidade. Algumas obrigações determinadas na legislação básica sobre o e-commerce devem ser seguidas à risca. Você pode comprar termos e contratos via internet ou contratar um advogado para criação desses contratos. Outro ponto importante é disponibilizar em seu site informações como: etapa de confirmação de compra, identificação completa do fornecedor, endereços físicos e eletrônicos, explicação de segurança das informações, regras para estornos, etc.

No link abaixo, você confere o Decreto nº 7962 de 15 de março de 2013, ou “Nova Lei do E-Commerce”:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Decreto/D7962.htm

O cliente comprou. E agora?

Quando um cliente comprar algo de sua loja virtual, esse cliente espera receber o produto em ótimas condições e dentro do prazo estipulado. Essa é a logística, que diz respeito ao processo de entrada e validação do pedido, análise financeira), picking (retirada do produto do estoque), embalagem, impressão de etiqueta com nota fiscal, conferência, retirada e entrega do pedido.

É um caminho com várias etapas e que deve funcionar plenamente. Basta um cliente reclamar que o pedido atrasou ou que não chegou em bom estado para a sua loja virtual ganhar uma manchinha na reputação. Evite que isso aconteça.

Outros dois pontos importantes: qual sistema de entrega você usará (frota própria ou Correios) e logística reversa, ou seja, produtos com defeito fatalmente serão devolvidos pelos clientes.

Esperamos que este artigo seja sido útil a você, querido(a) leitor(a). Semana que vem estaremos de volta. Deixe o seu comentário ou pitaco, o seu feedback é muito importante para nós. Até a próxima!

Sobre a Agência CWS

Contamos com as melhores soluções em: Criação de Sites, divulgação em Redes Sociais e Google Adwords, Manutenção de Websites, Fotografia, desenvolvimento de E-Commerce e criação de conteúdo escrito para blogs. Solicite um orçamento hoje mesmo clicando no botão abaixo e seja atendido(a) rapidamente por um de nossos atendentes:

[button text="Solicite um Orçamento CWS" radius="10" link="https://agenciacws.com.br/orcamento/" target="_blank"]

Deixe um comentário